“É lamentável saber que as fake news têm como propósito causar prejuízo a alguém”, diz Matheus Mazzafera | Noticias

Noticias Última Hora | O Portal de Notícias do Brasil com as últimas notícias de hoje.
“É lamentável saber que as fake news têm como propósito causar prejuízo a alguém”, diz Matheus Mazzafera
Matheus Mazzafera (Foto: Iudi Richele / Divulgação)

 

 

Logo após sua volta da Semana de Moda de Paris, Matheus Mazzafera conversou com a GQ Brasil sobre sua nova fase - como um dos apresentadores do Vídeo Show - e também sobre seus vídeos nos canais Hottel Mazzafera e Mister V. E o digital influencer revela um sonho: entrevistar as divas Beyoncé e Rihanna.

GQ: Por estar entre os famosos e agora no Video Show, como consegue ‘guardar’ os segredos dos amigos e amigas? 
Matheus Mazzafera: Segredo é segredo, né? Já diz o ditado [risos]. E mesmo que algo fosse ou não segredo, eu mesmo não falo nada. Inclusive, por ter trabalhado com moda, ter um canal no YouTube, apresentar quadros na TV, ser um digital influencer, às vezes penso que as pessoas se confundem sobre o que realmente faço. Meu foco sempre foi e sempre será meu trabalho como apresentador, independente do formato.

GQ: Qual é o seu sonho de entrevistado?
Matheus Mazzafera: Sempre sonhei em entrevistar o Silvio Santos. Quando falei com ele para o meu canal, quase morri [risos]. Conheço também a Kim Kardashian. Adoraria entrevistá-la! Beyoncé e Rihanna são sonhos também.


GQ: Você sempre quis estar no Vídeo Show
Matheus Mazzafera: Estar na Globo, no Vídeo Show, sempre foi meu sonho. Via o Miguel Falabella apresentando e parecia que já fazia parte daquilo tudo. Entrevistar os globais e estar no meio deles é algo que admirava porque são artistas que atravessam gerações e nos cativam a cada trabalho. Hoje me sinto realizado em poder fazer parte do time e levar alegria para quem assiste. As mensagens calorosas que recebo, sempre que me veem na telinha, trazem um sentimento de gratidão muito forte. Acredito no que diz o poeta Fernando Pessoa: “Tenho em mim todos os sonhos do mundo”.

GQ: Sua visibilidade em seu canal no YouTube te levou à TV aberta?
Matheus Mazzafera: Acredito que o trabalho no canal, que já vem de alguns anos, mostrou uma forma de entretenimento que o público gosta de assistir, com entrevistas mais descontraídas e sem tabus. Comecei na plataforma em um momento de preocupações, quando me vi desempregado e já estava ansioso para retomar minhas atividades como apresentador. Então criei o Hottel Mazzafera com o propósito de levar diversão. Acreditava e acredito na forma de entretenimento que mostro: mais descontraída, na cama, de roupão. Como uma conversa de mesa de bar, entende? Ou, simplesmente, uma conversa de amigos antes de dormir - daquelas que se tornam inesquecíveis pela intensidade e verdade com que costumamos nos expressar quando nos sentimos mais livres. 

GQ: O que acha das fake news [o historiador inglês Simon Sebag Montefiore afirma que elas sempre existiram] que circulam sobre os famosos?

Matheus Mazzafera: Como não achar ruim, né? Esse assunto é bem atual e urgente, porque é lamentável saber que as fake news e seus criadores têm como principal propósito causar prejuízo a alguém. Como lidar com um mundo assim? Onde embora estejamos em uma era tão tecnológica, vejo que como seres humanos ainda nos falta muita consciência sobre o “ser” no mundo. A famosa empatia, sabe?

+ Sergio Guizé detona as fake news: “Espero que vire crime digno de punição”

+ Donald Trump acredita ter criado o termo "fake news"

+ 'Toda a pessoa que tem uma imagem pública é refém da mídia', diz Bruna Marquezine

GQ: Como foi acompanhar a Semana de Moda de Paris como um dos convidados Vip ao lado de Bruna Marquezine, Alessandra Ambrósio, Daniel Alves e Neymar Jr?
Matheus Mazzafera: Paris é uma cidade que respira estilo e novidades, então já começa por aí o encanto de estar lá. Sempre gostei muito de moda, desde a faculdade. Sou formado nessa área e já vivi muitas experiências com a moda. Outra coisa que amo é ser fashionista. Durante o tempo que estive na semana de moda, pude apreciar novos conceitos e, também, matar a saudade de pessoas queridas. Meu foco foi o trabalho também, porque aproveitei para gravar bastante para o meu canal Hottel Mazzafera, para a TV Vogue e para o Vídeo Show. Consegui, entre um desfile e outro, aproveitar um pouco o lugar.

Matheus Mazzafera (Foto: Iudi Richele / Divulgação)

 


GQ: Seus vídeos com Bruna Marquezine e Marina Ruy Barbosa sempre trazem momentos delas que não estamos acostumados a ver. Como convence as estrelas a mostrar este outro lado?
Matheus Mazzafera: Amo entrevistar a Bruna e a Marina, assim como várias outras meninas também. Fico feliz com essa pergunta, porque isso, para mim, significa que estou alcançando os propósitos do meu trabalho como apresentador, que é a busca por entrevistas diferentes e que deixam meus meus convidados à vontade. 

+ Bruna Marquezine manda recado aos haters: 'falta empatia, carinho na fala'

+ Precisamos promover uma coexistência ao nosso redor, acredita Djamila Ribeiro


GQ: E o Mister V? 
Matheus Mazzafera: A Vogue (o Mister V) é meu primogênito, tudo começou ali. Hoje colho outros dois frutos lindos que é Hottel Mazzafera e o Vídeo Show. São 3 filhos, entende? [risos]. O amor por ambos é na mesma intensidade. Cada um tem me proporcionado experiências que me farão crescer mais, aposto nisso. O Mister V é meu xodó, foi uma ideia minha apresentada para a Daniela Falcão. Fiz dois pilotos, um com a Sabrina Sato e outro com a Alessandra Ambrósio. 

GQ: Se entrevistasse você mesmo, que perguntas faria?
Matheus Mazzafera: Se pudesse me fazer uma pergunta, seria: “Matheus, como você quer estar daqui a alguns anos?" E eu responderia que, certamente, estarei grato e que quero continuar com meus projetos no YouTube, na TV Vogue e no Vídeo Show. Também perguntaria: "Matheus, o que acha dos relacionamentos hoje no mundo gay? Na sua opinião, está tudo muito rápido? Os aplicativos favorecem? Já fez uso deles?" Diria que as redes sociais chegaram com força e estão, hoje, em todas áreas. Sei de várias pessoas que já conheceram namorados em redes sociais. Principalmente os gays, que se sentem até mais livres nesses aplicativos. Eu mesmo não tenho problemas com nada disso. Se tiver interesse em usar e, por coincidência ou acaso do destino [risos], encontrar alguém que me interesse conhecer além do virtual, considero algo válido. Seria, inclusive, diferente, porque já namorei três vezes, mas nenhum dos meus namorados conheci por app.


[related_post themes="flat" id="677"]