Bianca Bin comemora nova fase de Clara em novela: ‘Merecia retornar gloriosa’

Atriz afirma que o público vai apoiar a milionária em sua vingança: ‘Todo mundo vai sentir esse gostinho’

Como uma rede de fast-food salvou a carreira de Kendrick Lamar

Kendrick Lamar (Foto: getty images)

 

Um frango de fast-food salvou a vida de Kendrick Lamar. E quem diz isso é o próprio rapper. Em entrevista ao programa de rádio The Howard Stern Show, ele explicou como o seu sucesso está diretamente ligado a um caso envolvendo o seu pai e Anthony “Top Dawg” Tiffith, CEO do selo musical Top Dawg Entertainment e… ex-assaltante.

Nos anos 80, Top Dawg planejava roubar uma franquia da KFC, a rede especializada em asas de frango, em Los Angeles. Ele não só esperava se deparar com a simpatia desconcertante de Ducky, um atendente que insistia em oferecer-lhe pratos de graça – já prevendo um assalto. A história é contada nos seguintes versos “Duckworth”, do álbum Damn:

“Você pega 2 estranhos, e os coloca em situações aleatórias, dando a eles uma alma / Então eles podem fazer suas próprias escolhas e viverem com isso / Vinte anos mais tarde, esses mesmos estranhos se encontram novamente / Em estúdio de gravações, onde rimam sobre suas paradas / Quem pensou que o melhor rapper seria uma coincidência? / Porque se Anthony tivesse matado Ducky / Top Dawg pegaria uma perpétua / e eu cresceria sem um pai que morreu em um tiroteio”

Kendrick conta: “É a história mais louca. Toda vez que eles se aproximam, meu pai e Top Dawg, é uma explosão mental. Eles têm muito o que dizer. Eles simplesmente se olharam e se deram bem. É uma viagem. Quem poderia imaginar que aquele garotinho que acompanhava o pai, vendendo gorduras e asas de frango, dividiria o mesmo estúdio com o assaltante?”

Dawg e Ducky acabaram virando amigos. O primeiro acabou deixando o crime e se tornando um dos maiores produtores da música na atualidade, sendo responsável por discos de Drake, SZA e o próprio Kendrick. O sr Lamar se aposentou e viu o seu filho crescer e se tornar o maior nome do rap da atualidade.

“Sempre penso como … e se ele atirasse no meu pai?”, Lamar refletiu. “Eu provavelmente não pisaria em um estúdio. Eu não estaria aqui com vocês agora. Eu ficaria desarrumado.  É difícil quando você não tem um pai em casa, especialmente crescendo no ambiente de onde viemos”, finalizou.

 

Saiba como a bebida pode fazer mal para a sua pele

Até Papai Noel tá precisando dessas dicas (Foto: Reprodução filme 'Bad Santa')

 

Toda pessoa que é fã de um vinho, uma cerveja ou um uísque já deve ter percebido a relação entre uma noite de bebedeira com a aparição de espinhas um ou dois dias depois. Isso mostra a transformação da sua pele para um pergaminho durante a noite – tão seca que chega até a escamar.

Então, o que será que acontece com a sua pele após beber demais? Por que o corpo processa o álcool diferente da água, te deixando com a pele desidratada e vermelha? Nós levamos essas perguntas a Dra. Amy Spizuoco da Greenwich Village Dermatology em Nova York. Aqui está o que ele disso sobre o efeito do álcool na sua pele:

Resíduos tóxicos

Primeiro, o organismo metaboliza o álcool de uma enzima no fígado, que libera um resíduo chamado acetaldeído. Falando o português correto, ele é tóxico para os tecidos do corpo. Por isso, a pele fica desidratada, o que, segundo a Dra. Spizuoco, causa envelhecimento prematuro da pele (como rugas).

O álcool, nesse meio tempo da noite, causa inflamação ao tecido corporal “liberando uma histamina que dilata os vasos sanguíneos, que causa a vermelhidão na pele. Spizuoco diz que, quando agravado ao longo de vários anos, essa vermelhidão pode ser permanente. E não é só isso! “O álcool dilata os poros da pele, que permite a criação de cravos e espinhas”, disse Spizuoco. “Se elas não porem tratadas da maneira correta, podem inflamar e se transformarem num cisto.” Ou seja, podem deixar marcas permanentes.

O consumo de álcool também pode afetar o seu sono e te desidratar enquando você tenta descansar. “Isso diminui a produção de novas células e te deixa com um ar abatido”, disse o Doutor.

Cafeína também pode ser ruim

O álcool não é o único que desidrata. A cafeína tem um efeito similar no corpo. Ela também metaboliza no fígado e cria a reação diurética (não é a toa que logo depois de um copo  de café você sente vontade de ir ao banheiro). Os diuréticos também desidratam a pele do corpo, que leva o aparecimento de rugas.

A cafeína por deixar o fígado tão estressado quando o álcool quando consumido frequentemente e em grande escala. 

Que tipo de álcool é menos pior para a pele?

Do menu de bebidas alcoolicas, Dra. Spizuoco diz que a cerveja é a mais prejudicial. “Ela tem mais aditivos, como sal, açúcares, que afeta mais ainda o fígado.” Nessa mesma linha, os líquidos escuros tem mais aditivos do que os claros. O menos pior para a sua pele (perceba que não falamos o “melhor para você”) provavelmente é o vinho tinto.

O vinho tinto contêm resveratrol, que atua como um antioxidante para a pele e ajuda a eliminar do corpo radicais livres nocivos, que atuam principalmente no sistema imunológico.

Como continuar a beber e diminuir os efeitos colaterais?

Se você quer criar uma estratégia para beneficiar a sua pele depois do happy hour ou uma noite de vinho com amigos em casa, Dra. Spizouco sugere alternar o álcool com água. “Isso pode minimizar os efeitos do álcool e hidratá-la ao mesmo tempo com os goles de água.” Ela também diz que comer antes ou durante pode ajudar, já que alguns líquidos passam pelo sistema gastrointestinal com a comida, então eles serão digeridos juntos (e os efeitos colaterais vão ser menores).

*Originalmente publicado por GQ USA.

Um ombro só: Paolla Oliveira investe em vestido brilhoso de R$ 4,6 mil. Ao look!

Atriz apostou na produção para apresentar o ‘Caldeirão de Ouro’, gravado nesta terça-feira (12)