Um rolê pela China com Isabella Santoni e Caio Vaz | Noticias

Noticias Última Hora | O Portal de Notícias do Brasil com as últimas notícias de hoje.
Um rolê pela China com Isabella Santoni e Caio Vaz
Isabella Santoni na China (Foto: Caio Vaz)

 

Fui pra China acompanhar o Caio Vaz, meu namorado, no seu primeiro campeonato após o acidente que ele sofreu em maio, caindo de uma onda gigante em Fiji. Foram dois meses de cadeira de rodas, depois muletas e um longo período de reabilitação. Passamos por esse susto juntos e eu queria estar presente na volta dele às ondas. Resultado: ele trouxe o bronze pra casa!

Você deve estar se perguntando: "Surfe na China?" Sim! Eu também não sabia que tinham ondas por lá!  O ISA Games 2018, campeonato mundial de surfe, aconteceu no fim de novembro em Hainan, uma ilha tropical no sul do país. Com ondas abrindo perfeitamente para a esquerda, o lugar é apelidado como o Havaí chinês.

+ Max Fercondini sobre sua vida sozinho no oceano: 'Não imagino sair dele nos próximos 3 ou 4 anos'
+ Maya Gabeira protagoniza estreia do surfe feminino no Guinness Book

Isabella Santoni na China (Foto: Caio Vaz)

 

Ouvi muito sobre a dificuldade de se alimentar e se comunicar, mas não imaginava que seria tão difícil, diria até impossível, sem um tradutor no celular. Nem na recepção do hotel eles falavam inglês - e são um pouco resistentes às mimicas (risos). Mesmo assim conseguimos conhecer alguns chineses que falavam e nos tornamos amigos, foram bem solícitos e nos ajudaram bastante durante nossa estadia. Eles nos apresentaram o lugar em que está sendo construído o centro de treinamento olímpico para o surfe, agora que o esporte é uma modalidade olímpica. Apesar de não existir uma cultura surfer tão forte por lá, o governo está investindo muito. Vimos mais de 300 crianças treinando todo dia e recebendo todo o apoio/estrutura. Além da prática no mar, eles também fazem natação, meditação, corrida, entre outras atividades.

Os hábitos chineses são muito curiosos também. No café da manhã do hotel vimos vários tipos de macarrão e eles bebem água quente e colocam leite condensado para adoçar o café. Vimos algumas crianças bem novinhas, de uns 2 anos, usando roupas com um buraco no bumbum. Eles usam motinhas elétricas para se locomover, se protegem muito do sol (usam luvas nas motos e chapéu o tempo todo).

Isabella Santoni na China (Foto: Caio Vaz)

 

Os chineses têm uma habilidade incrível pra fumar! Fumam muito! Fiquei assustada! Vi um chinês surfando e fumando no outside esperando as ondas! Catei algumas bitucas por lá e, no final, o motorista que nos levou ao aeroporto jogou uma no chão e só de olharmos emburrados, ele já catou em seguida. Vi até uma limpeza de praia durante a nossa estadia por lá. Nosso amigo contou que os próprios moradores se mobilizam para fazer, estavam todos de camisetas brancas recolhendo os lixos da areia - bem parecido com o nosso projeto, Pegada do Bem

Isabella Santoni na China (Foto: Caio Vaz)

 

No geral, foram 15 dias bem diferentes e divertidos - tive até a oportunidade de conhecer ainda o Nanshan, um templo budista muito interessante. Além da cultura chinesa, conheci também atletas do mundo todo por causa do campeonato. Se fosse para escolher um conselho caso você vá para a China, seria esse: não se esqueça de baixar um aplicativo chamado “VPN” para ter acesso à internet, já que tudo relacionado ao Google é bloqueado por lá.

Isabella Santoni na China (Foto: Caio Vaz)

 


[related_post themes="flat" id="1737"]