Witzel na mira da polícia federal


COMPARTILHE

Witzel na mira da polícia federal – A polícia federal faz buscas em endereços ligados a Witzel em operação contra fraudes em hospitais de campanha e corrupção no Rio de Janeiro.

Agentes da Polícia Federal cumprem 12 mandados de busca e apreensão, um deles no Palácio Laranjeiras, residência oficial do governador, na manhã desta terça 26/05/2020.

Witzel nega irregularidade e diz que interferência de Bolsonaro está ‘oficializada’ – e por que não? Só ele pode perseguir o Presidente e sua família?

Desde o início da manhã de terça, agentes da PF cumprem mandados de busca e apreensão em vários endereços no Rio de Janeiro e também em São Paulo (se cuida Dória) devido a suspeitas de desvios na Saúde do RJ e São Paulo, para ações na pandemia de coronavírus sem licitação.

Aparentemente, dezenas de empresas ligadas a compra de suprimentos e aparelhos para hospitais de campanha, se quer existem.

Mas… Depósitos na conta de primeira-dama embasaram operação da PF contra Witzel.

Alguns comprovantes de pagamento em nome da primeira dama do Rio de Janeiro sugerem participação em esquemas de corrupção. As iniciais referem-se, respectivamente, a Helena Witzel e Mário Peixoto, empresário alvo da Operação Favorito, deflagrada no início deste mês, na qual o Ministério Público Federal apurou esquema de corrupção em contratos emergenciais da Saúde no Rio de Janeiro com organizações sociais.

No novo pedido de busca, o Ministério Público Federal destaca contrato de prestação de serviços e honorários advocatícios o escritório de advocacia de Helena Witzel com a empresa DPAD Serviços Diagnósticos Ltda. — ligada a Peixoto — “bem como comprovantes de transferência de recursos entre as duas empresas”.

Agora só falta em São Paulo.


Deixe uma resposta

Cresta Help Chat
Send via WhatsApp