Bolsonaro prega humildade ao comentar eleição americana

Bolsonaro participa de formatura de policiais em SC

Bolsonaro participa de formatura de policiais em SC

Marcos Corrêa/PR – 06.11.2020

O presidente Jair Bolsonaro voltou a comentar nesta sexta-feira (6) a eleição presidencial norte-americana, que, de acordo com a apuração até o momento, tende a dar vitória para o democrata Joe Biden sobre o republicano Donald Trump.

Leia mais: Bolsonaro afirmou torcer por reeleição de Trump nos EUA

“O momento para o Brasil ainda é difícil, acompanhamos a política externa, termos nossas preferências, o que acontece lá fora interessa para cada um de nós”, disse em um discurso não muito claro Bolsonaro durante a formatura de 600 novos agentes da PRF (Polícia Rodoviária Federal), em Santa Catarina.

O presidente brasileiro também pregou humildade numa declaração que pode ser interpretada como um conselho a Trump, caso tenha de deixar o cargo.

“Eu não sou a pessoa mais importante do Brasil, assim como Trump não é a mais impotante do mundo, como ele mesmo diz: ‘a pessoa mais importante é Deus’. A humildade tem que se fazer presente entre nós.”

Republicanos reagem a acusações sem provas de Trump: ‘Indefensável’

Bolsonaro também falou em dois momentos sobre sua idade. Primeiro, ao dizer aos formandos que queria estar no lugar deles. “Sinal de que seria 30 anos mais jovem, e nessa vida tudo passa muito rápido”, lamentou. Depois, brincou que não aceitaria o desafio de fazer flexões no palco, por que estava ficando velho.

Milagres

undefined

O evento da PFR foi o primeiro encontro do presidente com a governadora interina de Santa Catarina, Daniela Cristina Reinehr (sem partido), que se diz admiradora de de Bolsonaro.

Ela afirmou em seu discurso ser fruto do “milagre” que foi a eleição do atual presidente.

O ministro da Justiça, André Mendonça, declarou que os formandos não deveriam ter feito o curso e que por um milagre estavam participando do evento.

A frase foi uma menção ao fato de que o ex-titular de sua pasta, Sergio Moro, não havia se esforçado para aprovar o concurso, uma situação já algumas vezes lembrada por Bolsonaro.

Mendonça citou uma passagem da Bíblia e orientou os novos policiais a acreditarem em Deus e “nos homens que Ele usa para mudar a história”.

Ele citou o ministro-chefe da Secretaria-Geral da Presidência, Jorge Oliveira, e o presidente Bolsonaro como responsáveis por tornar possível o concurso que aprovou 600 candidatos à PRF.

Cresta Help Chat
Send via WhatsApp