Moradores do Amapá relatam rotina dramática após 3 dias sem luz

População se aglomera em busca de alimentos no Amapá

População se aglomera em busca de alimentos no Amapá
Reprodução

A situação no Amapá se deteriora há cada minuto que passa e ganha contornos dramáticos desde que um incêndio em uma estação de energia deixou Macapá e outros 14 municípios do estado sem energia elétricana terça-feira (3). De acordo com vídeos e relatos da população local, há falta de água, alimentos e a população enfrenta grandes filas para conseguir sacar dinheiro em caixas eletrônicos e abastecer seus veículos. 

Em um texto publicado no Facebook, Heluana Quintas, moradora de Macapá, fala da situação de calamidade no Estado onde 14 dos 16 municípios estão sem energia elétrica. “Não tem água encanada. Não tem internet e raras vezes funciona Claro e Vivo. Os postos de gasolina não podem operar sem energia, então não temos gasolina também. Não dá para sacar dinheiro nos caixas eletrônicos, nem comprar comida com cartão. Estamos num pico de contaminação e lotação nos hospitais devido à pandemia. Eles estão funcionando por gerador. Não sabemos por quanto tempo. As cirurgias foram interrompidas. Torçam, rezem, orem, mandem ‘positive vibration’ aos enfermos”, postou.

Os relatos de Heluana confirmam as informações que chegam do estado. Em vídeos publicados nas redes sociais, é possível observar filas enormes de pessoas, aglomeradas, em busca de gelo, comida, água, remédios e gasolina. 

Além disso, a população tem se dirigido ao aeroporto de Macapá para recarregar celulares e tentar sacar dinheiro nos caixas automáticos 24 horas, o que não está sendo possível, pois não há dinheiro disponível para saque. Os bancos também não estão funcionando, segundo relatos. 

“Eu já fui em três bancos da Caixa e do Banco do Brasil. O BB da Tiradentes tem uma fila quilométrica e é o único que está funcionando da zona norte até o centro. Eu estou sem dinheiro, caixas 24 horas não funcionam também, estão todos desligados”, afirma um morador.  

 

Prateleiras vazias e água contaminada

Prateleiras vazias em mercado

Prateleiras vazias em mercado

Reprodução

 

Nos supermercados,  imagens mostram que todas prateleiras de armazenamento de alimentos que dependem de refrigeração, e portanto precisam de energia para funcionar, estão vazias. Os alimentos estão sendo jogados fora. Sorveterias e lojas que vendem também tiveram que jogar fora seus produtos.

Em um vídeo, uma mulher é filmada retirando água de um poço, próximo a um parque de Macapá. A água está visivelmente suja e imprópria para consumo. 

Uma internauta usou o Twitter para lamentar a situação. “Só atualizando: estamos há 50 horas sem energia, pouco sinal de internet, a água potável está escassa, gasolina num preço absurdo, o Estado está na segunda onda de covid e não temos previsão de retorno”, disse Mari Guedes.

Mobilização política

O senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) disse que vai protocolar junto a Justiça Federal do Amapá, pedidos para a população seja abastecida de água por meio de carros pipas e receba cestas básicas e medicamentos dos governos municipais, estadual e federal. 

Além disso, Rodrigues pede a instauração de inquérito por parte da PF (Polícia Federal) para “investigar as responsabilidades da empresa ISOLUX, do Operador Nacional do Sistema e a provável omissão da Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica)”.

Um incêndio na subestação Macapá ocorrido na noite de terça-feira (3) levou ao desligamento automático da linha de transmissão Laranjal/Macapá e das usinas hidrelétricas de Coaracy Nunes e Ferreira Gomes. O fogo tomou conta da subestação e interrompeu cerca de 250 megawatts de carga elétrica.

Cresta Help Chat
Send via WhatsApp