UE sanciona Alexander Lukashenko por fraude eleitoral e repressão

Presidente Alexander Lukashenko foi sancionado pela União Europeia

Presidente Alexander Lukashenko foi sancionado pela União Europeia
Nikolai Petrov/BelTA/Handout via Reuters – 08.09.2020

A União Europeia (UE) aprovou formalmente nesta sexta-feira (6) sanções contra o presidente de Belarus, Alexander Lukashenko, por fraude nas eleições presidenciais de 9 de agosto, assim como pela posterior repressão de manifestantes pacíficos e opositores políticos.

Em 12 de outubro, os ministros das Relações Exteriores dos países da UE chegaram a um acordo para a imposição de uma segunda rodada de sanções contra autoridades bielorussas responsáveis pela crise no país, entre elas Lukashenko.

Hoje, o bloco acrescentou mais 15 nomes à lista de sancionados, e o presidente de Belarus – cujo mandato não é reconhecido pela UE – e seu filho e conselheiro de segurança nacional, Viktor Lukashenko, foram confirmados.

Em particular, as sanções dizem respeito à “repressão violenta e intimidação de manifestantes pacíficos, membros da oposição e jornalistas” após as eleições presidenciais, disse o Conselho da UE em comunicado.

Estas medidas restritivas, que já se aplicam a um total de 59 pessoas, incluem a proibição de viajar para territórios da UE e o congelamento dos bens que possam ter nos países do bloco.

Além disso, os cidadãos e empresas da UE estão impedidos de disponibilizar recursos para aqueles que constam da lista.

Cresta Help Chat
Send via WhatsApp